Encorajamento

Empresarial

Emilio Carlos

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 

 

 

 

 

 

A CHAVE PARA A SUA SEGURANÇA
A DECISÃO DE TER QUE DESPEDIR ALGUÉM
A EXPERIÊNCIA DO FRACASSO
A EXPERIÊNCIA DO FRACASSO (Parte 2)
APRECIANDO O VALOR DE UM FRACASSO
APRECIANDO OUTROS E EDIFICANDO O SEU SUCESSO
COMO LIDERAR UMA REUNIÃO DE DIRETORIA
EM BUSCA DE EQUILIBRIO (I)
EM BUSCA DE EQUILIBRIO (II)
EXAMINANDO O NOSSO EGO
FLEXIBILLIDADE E CRIATIVIDADE
LIDERANDO A SUA EQUIPE DE TRABALHO
OUSE TOMAR DECISÃO
PRINCÍPIOS EMPRESARIAIS DE ABRAÃO LINCONL
 
 
 
 
 

A CHAVE PARA A SUA SEGURANÇA

Existem muitos comentários em dias recentes sobre a falta de segurança no mercado de trabalho. Eventos como "downsizing" restruturação e aquisições tem feito com que muitos empresários venham a perder o sono ao ponderarem se o trabalho de hoje será uma realidade amanhã. Esta incerteza, em muitos lugares tem trazido resultados devastadores tais como: moral baixa e um desencorajamento e resistência por parte de funcionários em darem o seu melhor. Afinal, - eles raciocinam - "Se a qualquer momento eu posso ser despedido ou ter o meu trabalho radicalmente mudado, por que dar 100% para esta empresa?"

É verdade que já se foi o tempo em que se trabalhava para uma companhia por 30 anos, quando se ganhava um relógio de ouro como prêmio e um seguro plano de aposentadoria; o fato, porém, é que a pessoa que mais sofre quando não se dá o seu melhor é VOCÊ! Por que? Para começar é bom se lembrar que excelência é um hábito que não pode ser ligado ou desligado como um interruptor. Nós somos criaturas de hábitos. Ou o nosso compromisso é o de fazermos o melhor trabalho que possamos vir a fazer ou nós vamos nos condicionar a nós mesmos a fazer tudo com uma atitude de segunda ou terceira categoria. Seja qual for o caminho a tomar, a mudança não é algo fácil. Não cometa o engano de pensar que você pode "segurar" o seu talento e entusiasmo hoje e libera-lo automaticamente amanhã.

Para ilustrar, considere um dos seus hábitos diários: a maneira como você trata o seu quarto de dormir. Se você é o tipo de pessoa que ao trocar a sua roupa, você as deixa pelo chão, quão difícil você acha que será de uma hora para outra mudar o seu hábito e agora dobrar todas as suas roupas individualmente e coloca-las no cabide e gavetas apropriadas? É garantido que você irá encontrar muita dificuldade de estabelecer esse novo padrão. Possibilidades muito fortes existem que dentro de um ou dois dias as suas roupas estarão pelo chão novamente. O mesmo princípio se aplica na maneira como você aborda o seu trabalho. Ou você vai fazer o compromisso de realizar um trabalho excelente ou você irá desenvolver um padrão de mediocridade.

Essa é a razão pela qual se você está procurando por segurança no trabalho, então saiba que você está procurando no lugar errado. Segurança não existe em nenhum trabalho. Segurança reside dentro de você. A chave para desenvolver a sua própria segurança vem em função do desenvolvimento da excelência naquilo que você realiza e por continuamente aprimorar as suas próprias habilidades. Acrescente a isso uma positiva atitude e habilidade para se relacionar com outras pessoas e você estará pronto para adquirir toda a segurança que venha necessitar!

Quando você investe 100% do seu esforço as pessoas percebem. É possível que você não receba o retorno imediatamente, mas você estará construindo uma reputação que lhe será benéfico na empresa em que você está trabalhando ou em qualquer outro lugar no futuro. O ponto é: dar menos do que o seu melhor na sua atual função só trará prejuízo para uma só pessoa: você. Portanto, para que você possa obter real segurança faça a você mesmo essas perguntas: "Eu tenho dado o meu melhor para o meu trabalho?" "Eu tenho cooperado com as outras pessoas e apoiado os seus esforços?" "Eu tenho mantido uma atitude positiva?" "Eu tenho aprendido a ser melhor naquilo que faço e eu estou desenvolvendo as habilidades que serão fundamentais no meu campo de atividade e para o meu futuro?"

Responda essas perguntas e reavalie a si mesmo constantemente. Se você for capaz de responder com um entusiasmada SIM a cada uma dessas perguntas, saiba então que você terá a segurança no seu trabalho que jamais ninguém poderá lhe tirar.

 

A DECISÃO DE TER QUE DESPEDIR ALGUÉM

Existem ocasiões em que simplesmente é impossível evitar o inevitável: você tem que despedir alguém da sua empresa. Você já investiu tempo suficiente em treinamento e orientação; seu funcionário, porém, parece ter lhe esgotado todas as outras opções. Em situações como essa, cremos que as sugestões abaixo poderá lhe servir de grande benefício.

Meça seus próprios esforços. Você realmente já tentou tudo o que foi possível com o seu funcionário? Você já prestou atenção nos seus alvos individuais e nas suas necessidades? Você já certificou se existe algum problema de ordem pessoal que possivelmente possa estar influenciando a sua performance no momento presente?

Meça através de fatores específicos. Existem seis fatores principais que devem ser observados ao se tomar uma decisão de despedir alguém.
1. Atitude
2. Esforço
3. Efeito na moral da equipe de trabalho
4. Potencial
5. História da performance
6. Ética

Utilize algumas opções antes de despedir. Suponhamos que você vem trabalhando com um determinado funcionário e ele não responde eficientemente ao seu treinamento e orientação. Quais são as suas opções? Você pode:
- Fazer com que ele fale e exponha sobre um tópico em que está deficiente.
- Coloque-o em companhia de outro funcionário o qual possa ajudá-lo nas áreas em que se encontra deficiente.
- Estabeleça um plano de ação baseado nas áreas específicas em que ele necessita melhorar.
- Coloque-o sob observação e estabeleça metas claras e específicas as quais ele tem que alcançar.
- Despeça-o (a)


Não tome uma decisão precipitada. O seu funcionário pode lhe deixar frustrado, ressentido e irado e em conseqüência disso é bem possível que o seu desejo é o de despedi-lo imediatamente. Porém, lembre-se que o despedir alguém deve ter como base um critério de uma performance de uma longa caminhada e não por um julgamento instantâneo. A única vez onde se justifica despedir alguém de uma maneira rápida é quando esta pessoa se torna culpada de se envolver num ato ilegal ou por ter violado algum código de ética.

Faça a você mesmo algumas perguntas fundamentais: "Há quanto tempo o seu funcionário trabalha pra você?" "De onde veio antes de trabalhar para a sua empresa?" "O que fez com que você o contratasse?" "Quais são as habilidades ausentes desse funcionário?" "Por que ele está exibindo uma fraca performance?" "Quais são as coisas positivas a respeito nesse funcionário?" "Quanto treino e orientação já lhe foi dado?" "Já lhe foi dado um plano objetivo de melhorar sua performance?" "E talvez aqui esteja a mais importante e conclusiva pergunta que você tem que fazer a si mesmo(a): "Sabendo o que você sabe hoje, você recontrataria essa pessoa?" Se a sua resposta é "sim" provavelmente você está mesmo enganado ao despedi-la.

Essa é uma decisão que fatalmente você terá que tomar, porém, esteja certo de que você tem controle sobre a sua decisão. As escrituras nos ensinam em todo o tempo que venhamos a buscar sabedoria e sabedoria genuína que possam resultar boas decisões, harmonia, paz e prosperidade são decisões que sempre são baseadas no caráter de Deus.

 

A EXPERIÊNCIA DO FRACASSO

"Fracasso não é fracasso a não ser que você não aprenda pela experiência do fracasso." Dr. Roland Niednagel
 

Você provavelmente já sentiu aquele terrível sentimento de achar que o mundo todo tomou conhecimento do seu fracasso, e você se sente que tem que fazer uma força tremenda apenas para manter a cabeça levantada. Qual foi o maior fracasso em sua vida? Talvez tenha sido o de ver a sua empresa ir a falência em função de uma atitude inconseqüente que você porventura tenha tomado, ou a sua experiência de fracasso se tornou uma realidade a você, por ver a sua família dividida depois de um tempestuoso e amargo divórcio. Seja lá o que tenha sido, a pergunta que você tem que responder - para o seu próprio bem - é: "Eu já superei a dor que esta ferida me causou?" "Já resolvi toda e qualquer resquício de emoções negativas em relação a essa experiência de fracasso?"
 

Gostaria de poder ajudá-lo a voltar àquela experiência dolorosa de fracasso, gostaria de poder lhe sugerir algumas perguntas que certamente lhe ajudarão na perspectiva do futuro. Essas perguntas são valiosíssimas se forem respondidas de uma maneira aberta, sincera e honesta. Por que? Porque qualquer pessoa que está num sadio processo de crescimento irá enfrentar novos desafios na vida em que fatalmente irão se deparar com a possibilidade de um novo fracasso.
 

Pergunta 1. Eu sou grato por essa experiência de fracasso?
Você não pode se ressentir por alguma coisa que você até mesmo é grato. Se porventura você continua intimidado pelo fracasso do passado, obviamente que você não pode ser grato por isto. Se você é grato, então você poderá identificar valores preciosos nessa experiência. Se na sua lembrança você ainda se acusa lembrando-se a si mesmo do grande fracasso que trouxe a si mesmo, deixe-me lembra-lo que muitos envolvidos no processo já se esqueceram a muito tempo atrás.
 

Sochiro Honda. fundador da Honda Motors disse certa vez: "Muitas pessoas sonham com o sucesso. Prá mim, sucesso só pode ser alcançado depois de muitos fracassos e introspecção. Na realidade, sucesso representa apenas 10% do seu trabalho que resulta de 90% do que é chamado de fracasso."
 

Há um valor muito especial em ser grato por uma experiência de fracasso.

"É o fracasso que faz os ossos firmarem, os músculos se enrijecerem e torna as pessoas invencíveis transformando-as em heróis que se despontam neste mundo. Portanto, não tenha medo do fracasso. Você nunca estará tão perto da vitória se você não usar o fracasso para uma boa causa."
Henry Ward Beecher
 

Na semana que vem voltaremos ao assunto formulando pelo menos mais duas significativas perguntas

 

A EXPERIÊNCIA DO FRACASSO (Parte 2)

"Eu não posso lhe dar a fórmula para o sucesso, mas eu posso lhe dar a fórmula do fracasso: tente agradar todo mundo." Herbert Swope

Na semana passada falamos sobre a necessidade de fazermos certas perguntas que certamente irão nos ajudar a fazer frente a tropeços do passado que hoje qualificamos como fracassos.

Já avaliamos o valor da pergunta número 1: "Eu sou grato por esta experiência de fracasso?"

Hoje vamos levantar mais algumas perguntas:

Pergunta número 2: Eu realmente fracassei ou eu simplesmente fui vítima de uma irrealista expectativa?

Na sua experiência de fracasso, você esperava ser perfeito? Algumas vezes nós projetamos irrealistas e elevadas expectativas e quando não as atingimos nós achamos então que fracassamos. É porventura, possível ser esse o seu caso? Se for, então, eu tenho uma boa notícia para você:

- Tudo bem, você não precisa ser perfeito.
- Você não precisa necessariamente ter que atingir todos os alvos.
- E você NÃO precisa ser perfeito para ser relevante.

Eu sou bom em estabelecer alvos. Já estabeleci vários alvos, e os alcancei. Mas eu não posso alcançar todos os alvos. que tenho estabelecido nem preciso me sentir como fracassado porque não os alcancei. Alguns dos alvos simplesmente eram irrealistas à luz das novas e intensas realidades do mercado.

Pergunta número 3. Onde é que eu fui bem sucedido?

Muitas pessoas que experimentam um grande fracasso tem a tendência de ter uma nebulosa memória a respeito daquelas coisas que elas foram bem sucedidas porque agiram corretamente. Infelizmente elas só se focalizam naquilo que saiu errado porque é isto que lhes tem causado um traumatismo emocional enchendo-os de um sentimento de fracasso. Ao pensar na sua experiência do passado, eu sugiro que você faça uma lista das vezes e dos modos em que você foi bem sucedido, ou onde você tomou a melhor das atitudes em determinada ocasião ou situação. "Apenas uma pessoa medíocre está sempre no seu melhor." W. Somerset Maugham
 

Pergunta número 4. Qual foi a lição que eu aprendi?

Talvez você tenha aprendido não ser tão afoito em alguma coisa antes de avaliar com cautela e antes de procurar o sábio conselho de alguém idôneo.

Pergunta número 5. Como eu posso transformar o meu fracasso em sucesso?

Como é que o fracasso de ontem pode ser parte do seu sucesso hoje? Como é que você pode transformar limões em limonada?" O que é que você aprendeu que pode agora passar para outros?
 

Pergunta número 6. Quem é que "fracassou" dessa maneira anteriormente como é que eles podem me ajudar?

Ao conversar com pessoas que fracassaram nessa área, elas poderão lhe ajudá-lo tremendamente a ganhar uma nova perspectiva sobre aquilo que saiu errado. Você conhece alguém assim?

Finalmente, atente para essas palavras de Abrãao Lincoln: "Eu faço o melhor que posso fazer, me comprometendo a fazer o melhor até o fim. Se no final eu for bem sucedido, então tudo aquilo que for dito a meu respeito não terá valor algum. Porém, se no final, eu não for bem sucedido, ainda que dez anjos jurassem de que eu estava certo, isso não faria nenhuma diferença."

Ao encerrarmos a nossa breve reflexão sobre esse tópico, gostaria de deixar com você a convicção ardente e profunda de um homem que a bíblia qualifica como "homem segundo o coração de Deus." Veja o que ele diz: "Foi me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos." Salmo 119:71

 

APRECIANDO O VALOR DE UM FRACASSO

Para que possamos vir a apreciar o valor do fracasso temos primeiramente que aprender o que fazer com o fracasso:

a. Aprenda com o seu fracasso

Sochiro Honda fundador da Honda Motors disse certa vez: "Muitas pessoas sonham com o sucesso. Prá mim, sucesso só pode ser alcançado depois de muitos fracassos e introspecção. Na realidade, sucesso representa apenas 10% do seu trabalho que resulta de 90% do que é chamado de fracasso."

O apóstolo Paulo coloca de uma maneira melhor ainda. Ele nos ensina que fracasso é uma excelente oportunidade de crescimento. Ele diz: "...para o conhecer e o poder da sua ressurreição e a comunhão dos seus sofrimentos." Filipenses 3:10. Fracasso nos ajuda a entender essa "comunhão de sofrimento."

Alguém disse certa vez que "Sucesso não é nada mais do que acúmulo de fracasso." Foi Henry Ward Beecher que escreveu. "É o fracasso que faz os ossos formarem, os músculos se enrijecerem e torna as pessoas invencíveis, transformando-as em heróis que se despontam neste mundo. Portanto, não tenha medo do fracasso. Você nunca estará tão perto da vitória se você não usar o fracasso para uma boa causa."

Eis aqui o que o biógrafo de Dale Carnegie escreveu em um livro intitulado: "O Homem que Influenciou Milhões."

O nome Dale Carnigie não é associado a fracasso. Mas esse é o homem que iniciou uma classe de oratória em 1912 e que até hoje treina milhões de pessoas ao redor do mundo. Este é o homem que escreveu o livro "Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas"o qual já vendeu mais de 50 milhões de cópias. Porém, o início da carreira do Carnegie foi marcada e acentuada por fracassos.

Membro de uma família muito pobre, a única maneira de ir para a escola foi sair de casa. Ele tinha que cavalgar dezenas de milhas para ir e voltar à escola. Ele decidiu que poderia ficar famoso se ganhasse o concurso de oratória do State Teachers College em Kentucky.
Carnegie participou de dezenas de concursos e perdeu em todos eles. Ele trabalhou duro por 4 anos a fim de concluir o seu curso no Teaches College, porém, no último ano ele foi reprovado em latim e nunca terminou o seu curso. Carnegie foi para Nova York e lá gastou toda a sua economia em uma escola de arte dramática.

Conseguiu um pequeno papel em uma peça e nunca mais teve outra oportunidade. A partir de então tudo o que ele ouvia era: "Desculpe, mas não temos oportunidade e espaço para você agora."

Como último recurso ele se candidatou como professor de oratória no WYMCA, uma classe para ensinar pessoas a falar em público. Em função da sua falta de experiência, o WYMCA não lhe deu o salário que seria normal de 2.00 dólares por aula. Ao invés disso, foi dado a ele a oportunidade de ensinar com base no crescimento e sucesso da classe. "Se você se sair bem, você ganha dinheiro, se não você perde o seu trabalho." E através desse obscuro começo Carnegie se levantou para a fama como um dos mais eficientes oradores, e se revelou um dos mais bem sucedidos escritores de todos os tempos.

Dois fatores fundamentais estiveram presentes em Dale Carnegie para que ele pudesse transformar o fracasso em sucesso: Sua determinação de não desistir diante do fracasso e o seu desejo de aprender com seus próprios fracassos.

Creio que uma das melhores descrições de como alguém pode apreciar o valor do fracasso vem da famosa freira Madre Teresa. Essa notável mulher afirmou certa vez disse "fracasso é o beijo de Jesus." Quando alguém lhe pediu para esclarecer essa sua declaração, ela simplesmente afirmou: "Fracasso sempre, sempre me traz para junto Dele. "No meu fracasso, eu vejo o seu amor eterno e incondicional, e ali (no fracasso) ele me toma e me beija." Madre Tereza aprendeu a apreciar, a valorizar a importância de um fracasso.

 

APRECIANDO OUTROS E EDIFICANDO O SEU SUCESSO

A mais profunda necessidade do ser humano é a necessidade de ser apreciado." William James

Você gosta de ser reconhecido e apreciados pelos seus esforços? Certamente que sim. Quando alguém lhe telefona ou lhe escreve comunicando como foi beneficiado pelo seu trabalho certamente que isso lhe traz uma deliciosa gratificação. É correto afirmar que você também não irá se esquecer quem foi aquela pessoa que lhe demonstrou tal apreciação.

Se, como William James sugere, a mais profunda necessidade humana é a necessidade de apreciado, seria de esperar que as pessoas freqüentemente estariam demonstrando apreciação. Porém, o fato que este - decididamente - não é o caso. São poucas as pessoas que separam um tempo para fazer uma chamada telefônica, ou escrever um cartão ou uma carta demonstrando apreciação por alguém.

Quando as pessoas não recebem um bom serviço, ou quando suas necessidades de alguma forma não são preenchidas, elas rapidamente registram as suas reclamações.
Por outro lado, quando essas mesmas pessoas recebem um excelente serviço, ou são tratadas de uma maneira muito especial, raramente elas demonstram a sua apreciação.
Sugestão: Se alguém lhe envia um cliente, ou lhe envia um material precioso ou lhe assiste de alguma maneira em seus negócios, ou na sua vida pessoal, não deixe de lhe enviar um cartão, ou uma carta demonstrando a sua gratidão. Aquela pessoa certamente que estará muito mais inclinada a continuar lhe ajudando no futuro.

Por que? Porque a mais profunda necessidade da natureza humana é a necessidade de ser apreciado.

Pense nisso. Na segunda feira o Sr. Oliveira da empresa ABC presta um excelente serviço para o Cliente #1 e Cliente #2. Em resposta ao serviço prestado pelo Sr. Oliveira, o Cliente #1 não diz nada e não faz absolutamente nada. Na sexta feira, o Sr. Oliveira recebe um cartão de apreciação escrito pelo próprio punho do Cliente #2. Nesse cartão o Cliente #2 expressa a sua sincera gratidão ao Sr. Oliveira pela competência, cortesia e eficiência da empresa que lhe prestou excelente serviço. Na próxma vez que o Cliente #1 e o Cliente #2 ligarem para o Sr. Oliveira com um novo pedido, você não acha que o Cliente #2 irá receber um tratamento extra?

ESTABELEÇA UM HÁBITO
Sugestão: Desenvolva o hábito de diariamente reconhecer as pessoas pelos seus esforços e apreciar o seu bom trabalho em função de qualquer contribuição que elas estejam fazendo em sua vida. Se você desenvolver esse simples, mas saudável e poderoso hábito, você estará se elevando muito acima da média e desfrutará muito mais rapidamente o seu sucesso.

Para que você seja bem sucedido, fatalmente você irá precisar da cooperação das outras pessoas. Portanto, não faz sentido, que as pessoas estarão mais prontas a lhe ajudar quando você as reconhece e as aprecia?

Tome do telefone ainda hoje, fale com alguém ou escreva algumas linhas demonstrando profunda e sincera apreciação e espere pelo resultado. Faça disto um hábito e certamente que você ira obter mais coisas desta vida que você jamais imaginou poderia obter.

 

COMO LIDERAR UMA REUNIÃO DE DIRETORIA

Para muitos empresários não existe algo mais detestável do que uma reunião de diretoria. Quem já não teve a experiência de sentar-se por algumas horas num mesmo lugar e ter de assistir a condução de uma reunião muito mal preparada? A discussão demorou horas, o tempo passou e tudo o que ficou no ar foi a forte sensação de que nada, mas absolutamente nada foi realizado. Frustração total. O fato é que uma reunião de diretoria pode ser uma experiência tediosa, árida, realmente frustrante e pode além de tudo isso ser também um evento perigoso.

Porém, as coisas não tem que necessariamente ser dessa maneira. Você pode fazer das suas reuniões de diretoria um momento de positivas experiências se essas reuniões forem conduzidas com a abordagem correta. Tudo o que é necessário é mesmo a abordagem correta. Eis alguns passos imprescindíveis para uma saudável e produtiva reunião de diretoria:

1.COLOQUE TODOS OS ITENS NA MESMA AGENDA
Existem dois problemas imediatos em reuniões de diretoria: Participantes tem a sua própria agenda pessoal e freqüentemente o líder tem uma grande dificuldade em manter o controle da reunião. Em certa empresa um determinado diretor tinha o costume de no final da reunião, dar um tossida, limpar a garganta e invariavelmente afirmar: "Antes de irmos embora, eu tenho mais um item para discussão." Ele fazia isso todas as vezes que a diretoria se reunia e como resultado disso, o nível da reunião caia de qualidade, uma vez que o que estava para ser introduzido na reunião eram temas negativos e deprimentes. Essa é a razão pelo qual é muito importante que todos os itens sejam colocados na mesma agenda.

2. PREPARE UMA AGENDA QUE REALMENTE FUNCIONE
Antes de uma reunião de diretoria, aos membros da mesma deve ser dada a oportunidade de dar ao diretor presidente ou ao líder da corporação, os itens a ser incluídos na agenda da reunião. Após este primeiro passo, o grupo se reúne e discute apenas os itens que estão na agenda. Ao fazer isso com antecipação, anula-se o fator surpresa. A construção de uma agenda ajuda também a manter as coisas numa perspectiva positiva e produtiva. Para que uma agenda realmente venha a funcionar ela deve constar de três itens indispensáveis: itens de informação, itens de estudo e itens de ação.

A . Itens de Informação
Toda reunião deve começar com uma nota positiva e a seção de informação faz com que isso seja possível. Deve incluir cinco a seis relatórios positivos sobre algumas coisas que estão acontecendo na empresa. Itens de informação deve também incluir futuros eventos, reuniões etc. Em algumas reuniões de diretoria finanças freqüentemente são os primeiros tópicos a serem abordados e dali nada mais se move. Os itens de informações devem ser breves, talvez não mais do que sete minutos. Deve ser o tempo apenas suficiente para abrir o apetite e criar uma atitude positiva para todo o restante da reunião.

B. Itens de Estudo
Esta segunda parte da agenda sempre contém o maior número de itens. Noventa e cinco por cento de qualquer reunião deve ser gasto "estudando"ou discutindo os itens pelos quais envolvem alvos da empresa. Uma importante regra que deve ser implementada nesta agenda é nunca votar ou decidir sobre um item que está sendo apenas estudado. A pressão em votar faz com que as pessoas tomem partido e como conseqüência promove-se desencorajamento e perda de criatividade. Ao começar a usar este sistema você pode manter alguns itens na seção "estudo" por vários meses principalmente se for um assunto controversial. Por outro lado outros assuntos menos controversos podem ser estudados em apenas uma reunião e a seguir enviados para a próxima seção.

C. Itens de Ação
A última seção da agenda contém itens de ação. Se cada um deles já foi estudado na seção "itens de estudo" se a matéria já foi discutida, então ela está pronta para ser votada. Uma vez que você usar este sistema não será necessário gastar mais do que cinco minutos nos itens de ação.
 

Se você se sente frustrado com reuniões de diretoria, lembre-se de que você não é um caso isolado. Muitos de nós sonhamos com um mundo sem reuniões de diretoria. Mas a verdade é que nós precisamos dos nossos membros de diretoria. Eles nos dão perspectiva, experiência e segurança que não temos em nós mesmos. Como o autor de Eclesiastes afirma: "É melhor serem dois do que um."
 

EM BUSCA DE EQUILIBRIO (I)

Liderança tem um preço. Muitas pessoas que foram elevadas ao topo não anteciparam os sacrifícios que viriam anexados àquela posição. Este artigo é dedicado a todos aqueles que estão enfrentando sérias pressões em função da sua atual posição. As recomendações deste artigo incluem sadias sugestões para o seu físico, emocional e até mesmo bem estar financeiro. Sua família, amigos e colegas de trabalho ficarão maravilhados se você os colocarem em prática.

Onze Possíveis Preços Que Você Paga Quando Em Liderança

1. Sua reputação está em jogo. A pessoa que está na liderança de uma empresa ganha o crédito quando é bem sucedida, porém, é sobre ela que está toda a pressão e responsabilidade quando as coisas fracassam.

2. Você tem que responder pelo sucesso das outras pessoas. Uma das mais difíceis responsabilidades que está presente em qualquer posição de liderança é a de ser responsável não apenas pela sua performance, mas também pela dos funcionários os quais você jamais poderá ter um completo controle.

3. Você se torna o objeto de grande expectativa. Viver sob o estigma da pessoa ideal é um peso muito difícil de carregar. De você é requerida a sabedoria de Salomão, a paciência de Jó, a decisão de Napoleão, a compaixão da Madre Teresa e as habilidades de relacionamento de Dale Carnegie.

4. Você tem que tomar decisões doloridas. São-lhe requeridas decisões que terão um impacto direto na vida das pessoas. Você é quem irá rejeitar candidatos a cargos de gerenciamento, determinará posições, títulos e salários, disciplinará, irá despedir funcionários e possivelmente terá que despedir bons funcionários em tempos de arroxo. Será confrontado com questões como valores, ética e propriedade. Obrigatoriamente terá que se comprometer com iniciativas que - decididamente - irão gerar críticas de alguém em algum lugar.

5. Você tem que lidar com muitos egos. O seu pessoal em posição de gerenciamento muito possivelmente consiste de gente cheia de energia, temperamento forte e profissionais que lhe exigem pulso para controlar. Tais pessoas tem tendência de discordar e se posicionarem em posições antagônicas uns contra os outros. Freqüentemente, de você é exigido uma posição de juiz.

6. Dias longos são práticas normais. Alguém definiu certa vez que patrões são aquelas pessoas que chegam cedo no trabalho quando você está atrasado e chegam tarde quando você chega cedo. O fato é que muitos patrões abrem e fecham o seu escritório sem contar com muitos quilômetros rodados e pilhas de arquivos e trabalho que são levados para casa todas as noites.

7. Muitas viagens são inevitáveis. Raros são os executivos que gastam todo o seu tempo no escritório. Quando a empresa é grande e geograficamente espalhada, eles podem gastar dias e até mesmo semanas na estrada.

8. Stress emocional é o resultado. As demandas que estão sobre o topo de uma liderança são enormes e estressantes. Proprietários insistem nos lucros; clientes demandam tratamento especial; equipe de trabalho necessita de apoio; a comunidade demanda o seu tempo, a mídia demanda informação e a sua família suplica pela sua atenção.

9. Muito pouco tempo lhe é deixado. Os constituintes identificados acima farão tudo o que for possível para chamar a sua atenção. As suas noites serão bem curtas e até mesmo, jamais serão as mesmas.

10. Você irá perder a sua privacidade. Seus hábitos, valores, crenças e gostos se tornam prerrogativas das outras pessoas.

11. O seu cônjuge e família se sentirão negligenciados. Talvez o preço maior que um empresário tenha que pagar é aquele que está sendo debitado na sua própria família. O seu cônjuge e filhos sofrem durante os fins de semana que você está trabalhando, nas noites em que você está soterrado sob uma imensidão de papéis, nos eventos familiares que você não pode estar presente e nas férias impossíveis de serem tiradas.
Se nesta semana apresentamos apenas os problemas, na semana que vem, queremos lhe apresentar soluções para este caótico, porém, realístico quadro aqui apresentado.
 

EM BUSCA DE EQUILÍBRIO (II)

Quando liderança está sobre os seus ombros, certamente que stress é algo a ser confrontado. Essa é a má notícia. Pesquisadores declaram que 75% de todas as doenças estão relacionadas com stress. A boa notícia, porém, é que stress é algo que pode ser controlado. Você não precisa necessariamente ser um forte candidato a um ataque do coração, ou um consumidor voraz de Valium. Ao invés de sucumbir às debilitantes conseqüências do stress, esse mal pode ser perfeitamente combatido na sua vida. Exercer controle sobre stress, significa em termos práticos enriquecimento da sua qualidade de vida pessoal e daqueles a quem você muito ama.

Dez Dicas Para Reduzir Stress

1. Faça um completo exame físico. O primeiro passo em manejar o seu stress é o de fazer um meticuloso exame médico. Qual é o nível do seu colesterol? Qual é a química do seu sangue? Quais são os fatores de risco que estão presentes para um ataque do coração? Quantos quilos (se necessários) você deve perder? Se no presente momento você já está experimentando algum tipo de stress, o seu médico irá avaliar a significacão do seu quadro clínico e irá lhe recomendar um tratamento. Siga o conselho médico.

2. Comece a sua jornada rumo a um mais saudável estilo de vida. Saúde é o grande antídoto contra stress. Aumentar a sua vitalidade física através de uma dieta, ainda que moderada - exercício e repouso poderá aniquilar o stress em sua vida. Lembre-se, você está embarcando em uma jornada. Não espere correr como se estivesse numa maratona. Se você está extremamente fora de forma, não faça nenhum tipo de exercício sem a supervisão do seu médico.
 

3. Faça um curso de como controlar o seu tempo. Assuma controle do seu tempo e esteja alerta quanto ao melhor uso do mesmo. Stress sempre se eleva quando outras forças ganham controle do seu tempo. Quanto mais você controlar o ritmo do seu dia, maior controle terá sobre o stress.
 

4. Dê um basta na expectativa perfeccionista. Você tem todo o direito de esperar por excelência, mas não tem o direito de esperar por perfeição. Perfeição - porque humanos são incapazes de atingí-la - é o alvo que apenas lhe irá frustar a si e aos que estão ao seu redor. Pare de bater-se em si mesmo e nas outras pessoas por fracassos em atingir alvos que não são mesmo realizáveis.
 

5. Aprenda a delegar. Delegue, trabalhe em equipe, planeje com maior eficiência, use tecnologia de uma maneira inteligente. Busque por alguma coisa que faz rotineiramente que tem menos utilidade e a elimine.
 

6. Aprenda a dizer não. Você não pode ser tudo para todas as pessoas. Selecione e escolha os projetos que pode completar, as responsabilidades que pode realmente corresponder e as causas que pode apoiar. Dizer não primeiramente é bem melhor do que dizer sim e depois se sentir culpado por não ter cumprido aquilo que prometeu.
 

7. Faça uma pausa energizante. Faça algumas pausas durante o dia. Feche a sua porta e tire uma revigoradora breve soneca. Dê uma caminhada na hora do almoço. Leve consigo um livro de afirmações e encorajamento o qual pode lhe ajudar em momentos de ansiedade e depressão.

8. Pratique técnicas de descontração.
Feche os seus olhos. Focalize em pensamentos de paz. Respire e perspire profunda e vagarosamente duas ou três vezes. Faça isso todas às vezes que pressentir um ataque de ansiedade a lhe sobrevir ou quando sentir que o stress está insuportável.

9. Busque por equilíbrio em sua vida. Perspectiva e equilíbrio são essenciais para a saúde física e psicológica. Gaste tempo com a sua família. Leia os Salmos bíblicos, vá a uma igreja. Pratique esporte ou qualquer outra atividade que o remova do seu estressante dia a dia.

10. Proteja-se contra relacionamentos destrutivos. Algumas pessoas podem fazer com que você até mesmo venha adoecer se você permitir. Quando você já fez o seu melhor para sanar um relacionamento difícil e as coisas continuam sendo uma fonte de dor para você, então rompa pelo menos por algum tempo. Lembre-se do sábio conselho paulino: "...se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens." Romanos 12:18
 

EXAMINANDO O NOSSO EGO

Um filósofo afirmou certa vez: "O poder corrompe e poder absoluto corrompe absolutamente." Quando você está numa posição de liderança, é muito fácil ser seduzido pelo poder que se tem nas mãos. Isso porque é o patrão, o chefe o number one. Porém, se não souber manejar o poder que tem em suas mãos, certamente que um palco já estará sendo montado para a exibição de uma queda pessoal. Estará criando uma barreira entre você e seus funcionários e também estará se colocando num pedestal que certamente lhe poderá conduzir a uma grande queda. Uma das coisas mais difíceis nesta vida é a demonstração do exercício do poder combinado com a presença de genuína humildade.

Dez Maneiras de Como Manter o Ego Sob Controle

1. Conscientize-se dos perigos de um ego descontrolado. Se a sua resposta for "Sim" a algumas dessas perguntas, então é possível que o seu ego precisa de ajustes.
· Seus funcionários não tem coragem de lhe confrontar mesmo quando você está errado?
· os seus funcionários se acovardam em sua presença?
· Você gosta de provar quão poderoso, inteligente ou impressionante és?
· Você se ira, levanta a sua voz quando outras pessoas questionam e desafiam as suas idéias?

2. Compreenda que o seu sucesso depende do esforço das outras pessoas. Você podeachar que é a estrela do time, mas sem o time a sua estrela não poderá ter um grande brilho. Os seus sonhos só se tornarão realidade se outras pessoas tiverem interesse e habilidade em ajudá-lo. Encoraje e aprecie o seu pessoal e eles estarão com você ombro a ombro.

3. Remova expressões egoísticas do seu vocabulário. Ouça aquilo que está falando. Começando hoje corte ao máximo pronunciamentos dizendo "Eu" se focalize no "Nós."

4. Pare de falar e comece a ouvir. Use as idéias e sugestões das outras pessoas. Permita que elas se expressem e lhe digam o que estão pensando. Reconheça e aprecie o valor das idéias delas. Esta simples estratégia não apenas irá ajudá-lo a cuidar do seu ego, mas também lhe trará informações preciosas na direção de maior lucro.

5. Estude as melhores "atitudes de equilíbrio" que possa encontrar. Observe a liderança e o estilo de pessoas em sua profissão, que tem tido a habilidade de equilibrar poder com humildade. Imite-os. Rejeite os modelos negativos. Aqueles cujos egos são maiores do que a sala onde estão alojados.

6. Coloque a sua estatura dentro de um contexto apropriado. Examine o mapa mundial. Existem atualmente mais de cinco bilhões de pessoas vivendo no globo terrestre. Quantos destes conhecem o seu nome? Dessas pessoas quantas terão apenas coisas positivas a dizer a seu respeito?

7. Identifique os seus motivos interiores. Muitas pessoas que gostam de trombetear as suas realizações assim o fazem com base na sua própria insegurança. Outros o fazem com inveja das outras pessoas. Seja qual for a razão, se um ego inflado está criando dificuldades para o seu negócio, então dê uma boa examinada em você mesmo, talvez até mesmo com a ajuda e supervisão de um profissional.

8. Quando ofender alguém, peça desculpas. Um pedido de desculpas é uma faca amolada de ambos os lados e todos os dois lados cortam em seu favor:
· Ao se desculpar você estará mandando uma mensagem pública de humildade.
· Ao se desculpar você estará se elevando diante dos olhos das pessoas com quem está se desculpando.

9. Torne-se um líder servo. Vá para a cozinha no próximo almoço da sua empresa. Faça um café para a sua secretária. Pergunte aos seus funcionários o que eles precisam a fim de serem bem sucedidos e não se esqueça jamais do princípio que não pode ser esquecido: "A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda. Melhor é ser humilde de espírito com os humildes do que repartir o despojo com os soberbos." Provérbios 16:18-19.
 

FLEXIBILLIDADE E CRIATIVIDADE

Flexibilidade ou agilidade mental, é o que Charles Garfield define em seu livro "Peak Performers" como "a habilidade de mudar perspectivas e pensar criativamente com o objetivo de lidar com os respectivos desafios." Para se lidar com perguntas tais como: "O que foi negligenciamos no passado?" e "Atualmente, qual é a nossa maior necessidade?" Isso requer agilidade mental. Precisamos aprender a habilidade de sermos flexíveis em função do sem precedente nível de mudanças que ocorrem na nossa cultura. Vale a pena aqui lembrar as palavras de Heráclito: "Não existe nada permanente a não ser mudanças."

Karl W. Deutsch, professor de Paz Internacional na Universidade de Harvard sugere: "O mais contundente poder no mundo atual é o poder de mudar...A coisa mais irresponsável e inconseqüente que podemos fazer no futuro é o de irmos em frente exatamente da mesma maneira que nos últimos dez ou vinte anos que se passaram."

As novas informações que temos recebido devem ser acompanhadas de uma grande habilidade de se fazer rápidas mudanças, correções e ajustamentos diários, grandes ou pequenos à luz desses novos eventos. O fato é que essas mudanças dramáticas podem apavorar-nos ou por outro lado desafiar-nos a cultivar a habilidade e a tecnologia necessária para responder às várias opções que estão à frente nos dias de hoje. "Viver é mudar" observou John Henry Newman, o escritor e cardeal inglês e "ser perfeito é mudar freqüentemente." Porém, para que a flexibilidade se faça presente na atitude de alguém é necessária uma forte dosagem de criatividade.

Criatividade, porém, nem sempre é encontrada num ambiente de calma e tranqüilidade. Na realidade um ambiente criativo freqüentemente é um lugar caótico e desarrumado. Lembre-se do proverbial conselho: "Para que você possa passar pelo tubo, você tem que ser apertado." Criatividade é a habilidade de ver as coisas numa nova perspectiva. É dar uma nova examinada naquilo que é familiar. Um bem sucedido relações públicas declarou certa vez: "Criatividade é o resultado de um intenso foco num problema em particular." É um processo lógico que manobra e se movimenta em uma determinada direção. Uma pessoa criativa exclui soluções convencionais e busca intensamente por novas propostas.

É incrível, porém, o fato de que apenas um reduzido número de pessoas inovadoras é que tem mantido o mundo ocupado com as idéias que eles implementaram. Exemplo: Steve Jobs da Apple Computer. Foi Jobs quem deu inicio a revolução na industria de computadores domésticos. Duas características marcantes de uma mente criativa são:

1) Uma habilidade em examinar os fatos tangencialmente (ao redor das suas formas e não apenas diretamente),

2) Uma ausência de temor em fracassar ocasionalmente.

As Escrituras tem a nos dizer que a flexibilidade e criatividade para fazer frente a situações que algumas vezes nos paralisam nesta vida, precisam ser advindas da sabedoria que procede de Deus. E Tiago diz que essa sabedoria pode ser adquirida quando requerida com fé e confiança. "Se porém, alguns de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente." Tiago 1:5
 

LIDERANDO A SUA EQUIPE DE TRABALHO

Funcionários buscam não apenas idéias dos seus líderes, mas eles realmente estão buscando por liderança. O alvo deste artigo desta semana é o de lhe mostrar como se tornar uma fonte de inspiração para a sua equipe de trabalho. Ao seguir essa estratégia você estará abraçando um tipo de excelência em liderança o qual empolgará o seu pessoal a se unir em torno da bandeira da sua empresa.

Onze Frases de Um Grande Líder
 

Alguém disse certa vez que somos aquilo que falamos. Se isto realmente é verdade, o que se segue é que uma maneira de se tornar um grande líder é começando a usar o vocabulário de um grande líder. Cada sentença da lista abaixo indica uma forma de comportamento que tem a habilidade de inspirar os seus funcionários a atingir os alvos e objetivos da sua empresa.

1. "Eis aqui uma maneira de fazer isto." Leve a sério sua responsabilidade de ensinar. Compartilhe sua experiência e seu conhecimento com seu pessoal, mas não os force a fazer exatamente da sua maneira.

2. "Isso está muito bom!" Quando seus funcionários preenchem sua expectativa, aprecie-os e agradeça-os.

3. "Esse trabalho precisa ser refeito." Quando funcionários fracassam em preencher a sua expectativa, identifique o erro, sem, porém, condenar o autor do erro.

4. "O que será necessário para evitar que isto aconteça novamente?" Quando alguma coisa sai errada, esta é uma maneira eficiente de adquirir o compromisso da pessoa para fazer a coisa certa da próxima vez. É bem melhor deixar que o funcionário lhe diga quais são os seus planos para consertar o erro do que você lhe dar a solução. O remédio deles pode fazer mais sentido, eles terão um compromisso maior e eles irão aprender como resolver problemas quando você não estiver por perto.

5. "Vamos fazer isso certo da próxima vez." Demonstre aos seus funcionários como lidar com o fracasso. Apresente-o de duas maneiras: como uma experiência de aprendizado que pode prepará-los para o futuro e como um instrumento de maior resolução para uma carreira bem sucedida. Encoraje-os a tomar riscos calculados e fazer alguns erros bem intencionados.

6. "O que você precisa de mim?" Procure descobrir qual é a expectativa que eles tem da sua liderança. Descubra o que é que pode fazer para melhor servi-los e desta forma melhor capacitá-los a fim de preencher as suas expectativas.

7. "Como eu estou me saindo?" Adquira feedback sobre a sua performance em liderança. No caso de funcionários se sentirem relutantes em darem uma resposta sincera, faça a pergunta desta maneira: "Diga-me pelo menos uma coisa que eu poderia ter feito naquele projeto que poderia ter facilitado os seus esforços?"

8. "Observe-me." Lidere pelo exemplo. Não se esqueça de um princípio vital em liderança. As pessoas fazem aquilo que as pessoas vêem.

9. "Qual é a sua idéia?" Os seus funcionários são a sua maior fonte de recursos em como descobrir a melhor maneira de fazer as coisas mais rápidas, mais baratas, mais eficientes e melhores. Ao usar as suas idéias isso fará com que a auto-estima deles se eleve e consequentemente isso resultará numa maior criatividade coletiva.

10. "Eu estava errado." A maioria dos empresários - incorretamente - assumem que admitir erros ou se desculparem pelas suas ações farão com que os seus funcionários o tomem como uma pessoa fraca. Porém, o oposto é verdadeiro. As pessoas respeitam líderes que são grandes o suficiente para reconhecer seus erros e limitações.

11. "Nós estamos juntos nisto." Líderes bem sucedidos convencem os seus subordinados que os interesses dos subordinados e os seus são os mesmos. Porém, não é apenas suficiente dizer isso; é absolutamente fundamental respaldar essa declaração com ações se é que você deseja ganhar o respeito da sua equipe de trabalho.

" A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto." Provérbios 18:20
 

OUSE TOMAR DECISÃO

Não existe nada que possa ser mais valorizado na vida de uma empresa do que uma boa decisão. Por outro lado não existe nada que possa receber mais críticas - e por muito tempo lembrada - do que uma decisão errada. Alguns anos atrás o Sr. Donatelli foi promovido para um cargo de muita responsabilidade dentro de uma determinada empresa. Em função da sua promoção, a ele foi pedido que indicasse uma pessoa para assumir o seu cargo anterior. Ele selecionou três nomes. Todos os três candidatos tinham excelentes qualidades e todos já faziam parte da empresa por vários anos.

Antes de tomar a decisão final, Donatelli deu a cada um dos candidatos uma importante tarefa: ao candidato "A" foi solicitado que escolhesse a melhor consultoria de marketing para um produto que recentemente havia saído da linha de fabricação. "A" imediatamente ligou para alguns colegas de outras empresas, perguntou qual era a companhia que eles usavam em marketing, analisou e aceitou a sugestão dos seus amigos. Sr. Donatelli eliminou candidato "A" porque ele não fez uma pesquisa pessoal e nem uma investigação personalizada e portanto, ele não poderia ter nenhuma segurança se havia ou não obtido a melhor consultoria para o trabalho. Essa não era a maneira que Donatelli esperava que o seu sucessor agisse.

Ao candidato "B" foi solicitado selecionar o melhor sistema de computadores para a programação de um novo produto. "B" metodicamente recolheu todas as informações possíveis e fez uma profunda investigação. Porém, todas as vez que Donatelli o pressionava por uma posição ele pedia mais tempo para a concretização da tarefa. Sempre havia necessidade de "uma informação que precisa ser recolhida aqui, outra que tem que ser analisada ali." Donatelli sentiu que não importava quanto mais tempo ele viesse a dar ao "B", o fato é que isso não anularia a sua intensa insegurança e o medo de cometer um erro. Candidato "B" foi eliminado.

Candidato "C" tinha uma reputação de ser uma pessoa ansiosa e ágil. Era uma pessoa tão energética que frequentemente se precipitava em suas decisões e fracassava em examinar um panorama mais abrangente. Donatelli pediu a "C" para desenvolver um plano publicitário e um orçamento para uma nova linha de produto. Candidato "C" compreendeu imediatamente que havia muitas coisas em risco naquela proposta. Ao invés de seguir o seu padrão habitual de conduta, ele marcou um encontro com Donatelli e pede ajuda a este para aquela delicada tarefa que lhe tinha sido delegada. Essa atitude foi o fator fundamental para que Donatelli tomasse uma decisão. Dos três candidatos ficou evidenciado a Donatelly que "C" tinha o melhor potencial primeiramente porque ele estava altamente motivado e em segundo lugar porque ele tinha um espírito ensinável e estava mesmo disposto a aprender. Candidato "C" foi escolhido para substituir Donatelli.

Se existe uma qualidade que supera a todas as outras em eficiência empresarial é a habilidade de se tomar decisão. Você pode ter o mais sofisticado computador do mundo à sua disposição, ter todas as informações e números que necessita, porém, no final é a ação que irá tomar que irá determinar o seu futuro. Por que? Porque é com a ação - e não com idéias e análises - que você irá ganhar ou perder. Para que uma idéia saia da teoria para a prática são necessários dois passos: Primeiro, você tem que tomar uma decisão. Segundo e igualmente importante: você tem que agir baseado naquilo que decidiu.

Eis aqui um pensamento que vale a pena meditar: "Todas as vezes que você tomar uma decisão, você estará tocando em algo central dentro de você; naquela parte que decide e redireciona alguma coisa diferente do que estava estabelecido anteriormente. Ao tomar a sua vida como um todo, com todas as suas inumeráveis opções,você estará vagarosamente girando este algo central dentro de você em uma criatura celestial ou em uma criatura infernal." C.S. Lewis.
 

 PRINCÍPIOS EMPRESARIAIS DE ABRAÃO LINCONL

I - GENTE
· Explique-se por escrito e esteja sempre aberto para resolver problemas.
· É importante que as pessoas saibam que você circula entre elas sem medo.
· Lembre-se que todas as pessoas gostam de elogios.
· Busque contatos casuais com seus subordinados. Essa é uma maneira tão significativa quanto o encontro formal ou talvez até mais.
· Se o teu subordinado não te suporta, você pode suporta-lo. Dê um bom exemplo.
· Faça uma guerra de cada vez.
· Invista tempo e dinheiro em conhecer a complexidade da natureza humana
· Quando você extingue a esperança, você cria o desespero.
· A demonstração de compaixão e tolerância fará com que você seja bem sucedido no seu relacionamento.
· Delegue responsabilidade e autoridade que venham proporcionar às pessoas agirem por si próprias.

II - CARÁTER
· Dê aos seus subordinados uma chance justa de liberdade eqüitativa e oportunidade para o sucesso.
· Quando você alcançar o topo, volte-se e abaixe-se para alcançar a pessoa que ficou atrás de você.
· Você deve ser consistentemente justo e decente em ambas as áreas da sua vida empresarial e pessoal.
· Uma vez que você tenha perdido a confiança dos seus subordinados, você nunca mais irá readquirir o respeito e estima.
· Tenha sempre em mente: uma vez que um subordinado é destruído, ele cessa de contribuir para a sua organização.
· Lembre-se: a sua organização irá assumir a feição e personalidade do seu líder principal.
· Não seja malicioso com ninguém mas seja piedoso para com todos.
· Ainda que haja uma certa possibilidade de você perder uma determinada batalha, isso não deveria lhe impedir de lutar se a luta for por uma causa justa.
· Lembre-se de que a verdade é a melhor vingança contra a calúnia

(Extraído do livro Linconl on Leadership - Donald T. Phillips)

Líderes contemporâneos podem ganhar uma nova sabedoria e atitude através deste cristão exemplar que foi Abraão Linconl. Este memorável presidente dos Estados unidos nos encoraja a vivermos uma vida de princípios sólidos e consistentes. Com Linconl aprendemos a examinar a vida pelo melhor angulo possível, aprendemos a demonstrar um espírito gracioso em meio a pressões. E acima de tudo aprendemos a distinguir com nitidez o certo do errado e a termos coragem para prosseguirmos em frente.